O que muda com o novo nome e a nova arquitetura de negócios do Facebook?

Seguindo os passo do Google, que há 6 anos separou o nome da ferramenta principal do nome da empresa mãe, Mark Zuckerberg anunciou esta semana como ficará a nova estrutura institucional. A mudança anunciada no evento Conect 2021 ocorre no momento em que a plataforma vem investindo no conceito de metaverso, dai a nomenclatura Meta.

O foco do novo posicionamento é conectar pessoas em ambientes digitais com interação de experiências entre o mundo real e o mundo virtual. A promessa é de que os ambientes Horizon Social, Horizon Worlds e Horizon Marketplace modifiquem a forma de interação entre as pessoas.

Ao deixar para trás o status de ser só um grupo de redes sociais a holding aposta em algumas tecnologias disruptivas pra gerar novas oportunidades.

Os ambientes de simulações e experiências imersivas (AR e VR) prometem ser impulsionados pelo Oculus Quest. A ênfase em Geolocalização vai permitir encontrar marcas, empresas e pessoas com mais facilidade. E isso leva a uma questão sobre Personal ID, onde serão empregados esforços para centralizar as identificações pessoais nos ambientes digitais. Por fim, a febre dos NFTs deve ser comtemplada pelas novas tecnologias, impulsionando ainda mais o Blockchain.

Essas são as principais apostas e devem impactar severamente a plataforma de anúncios nas redes sociais Facebook e Instagram, o verdadeiro ganha pão da empresa. Não dá para especular como o mercado vai se comportar diante das mudanças, por isso anunciantes de todos os portes estão ansiosos para o desenrolar desses grandes planos.