15 Fatos que ninguém te contou sobre implantar um site de ecommerce para vender na internet

Vender pela Internet é uma oportunidade indescritível para empresárias e empresários potencializarem os resultados financeiros dos seus negócios. Mas existem dificuldades técnicas e operacionais em vender em canais digitais que muitas vezes passam desapercebidas e podem comprometer toda a empresa.

 

Realmente os meios online proporcionaram recursos e facilidades para empreendedores de todos os tipos. Desde o mais variado leque de produtos até uma infinidade de serviços, vender pela internet é uma possibilidade viável para muitos empreendedores que buscam expandir o negócio ou até mesmo para aqueles que não teriam condições de estabelecer um ponto físico.

No entanto, ter a possibilidade não significa que é fácil. A imprensa e muitas entidades romantizam alguns casos de sucesso extremo fazendo parecer que tudo é simples e fácil. Mas poucos falam sobre as dificuldades e sobre quantos empreendedores naufragam antes de atingir um ponto de equilíbrio financeiro na empresa.

Para empresárias e empresários de modo geral é realmente difícil avaliar todos os riscos envolvidos, pois são tecnologias e processos geralmente distantes da realidade dos donos de empresas. Some a isso o fato de que a grande maioria dos empreendedores não possui capacitação técnica suficiente para gerir uma empresa e torná-la rentável.

Por isso tudo eu estou revelando os principais pontos críticos que são ignorados por empresários que iniciam a sua jornada digital. Nestes quatorze tópicos vou listar os obstáculos que realmente impedem as empresas de terem sucesso ao vender na internet através de ecommerce.

 

O Site de ecommerce é a parte fácil

Seja para iniciar um novo negócio ou para digitalizar a empresa já existente, todo empresário que inicia nesse caminho se preocupa majoritariamente com o site que vai abrigar seu ecommerce. No entanto eu insisto em afirmar que o site de ecommerce é a parte mais fácil de toda a jornada. Com tantas Plataformas e Canais digitais disponíveis, o empresário possui um leque vasto de possibilidades para iniciar suas vendas pela internet, desde as mais básicas até as mais complexas. E a maioria delas é bem acessível a novos entusiastas dos negócios digitais.

 

Tecnologia para ecommerce é meio, não fim

Um erro muito comum que empresários cometem ao pesquisar por recursos para implementar um site de ecommerce e vender pela internet é se deslumbrar com as tecnologias disponíveis. Atualmente existem dezenas delas e, tanto disponibilidade quanto a qualidade, só aumenta. Entretanto é um erro grave decidir por um determinado tipo de tecnologia apenas por ela ser a mais nova ou a mais avançada. As tecnologias e recursos que serão contratadas para implementar um ecommerce devem ser proporcionais ao porte e aos processos da empresa.

 

Analisar a concorrência no ambiente digital

Eu fico assustado com a quantidade de empreendedores que se joga em um novo negócio sem sequer pesquisar o que já existe no mercado digital antes de montar seu site de ecommerce. Esse é o caminho mais rápido para o fracasso. Sem uma base de conhecimento sobre o que os concorrentes diretos e indiretos já oferecem, nenhum site de ecommerce vai conquistar clientes que comprem pela internet.

 

Público-alvo bem definido para vender pela internet

Eu sempre digo que todo planejamento de Marketing deve se iniciar pelo público-alvo. Se o empreendedor não sabe quem é o comprador do seu ecommerce, de nada vão adiantar estratégias e táticas mirabolantes. Para definir o consumidor em potencial, pode-se começar definindo o público-alvo pela segmentação demográfica e aprofundar desenhando as principais Personas ou o Perfil de Cliengte Ideal – ICP.

 

Site de ecommerce com foco em conversão

Esse é outro ponto quase sempre relegado a segundo plano. Vejo muitos donos de empresas se preocupando exaustivamente com a parte estética de um site para ecommerve e se esquecendo completamente dos recursos que potencializem a conversão, ou seja, a venda propriamente dita. Claro que o design é importante, inclusive ele também tem a função de promover a conversão. Mas aplicar as técnicas ideais de usabilidade e user experience são primordiais para aumentar as vendas pela internet.

 

Tráfego Pago: sem divulgação não existe audiência

Provavelmente o aspecto mais romantizado sobre vender na internet seja o de postar exaustivamente nas redes sociais. Plataformas como o Instagram, Facebook e Twitter são importantes para construir autoridade e promover conteúdo útil e relevante para o consumidor. Mas o alcance e o engajamento orgânico nesses ambientes só cai a cada ano. Na hora de vender mesmo o que faz a diferença é ter campanhas de anúncios para gerar visitas ao site.

 

Meios de Pagamento para sites de ecommerce

No início da internet comercial havia uma grande resistência do público em comprar dos canais digitais por questões de segurança. Nos últimos anos os meios de pagamento para ecommerce se desenvolveram muito e hoje contam com grande diversidade e níveis de segurança realmente confiáveis. Esse é um ponto positivo para o lojista que deseja vender online, mas dedique algum tempo pesquisando os principais intermediadores de pagamentos, pois as taxas sobre transações pode significar um peso considerável na margem de lucro.

 

Gestão de Estoque para vender pela internet

O estoque é outra questão sensível para iniciantes nas vendas online. Se todos os pontos anteriores foram aplicados corretamente, o empresário certamente vai experimentar um aumento expressivo em suas vendas pelos canais digitais. Isso é ótimo, desde que o estoque esteja muito bem dimensionado para esse incremento de vendas. Eu já vi empresas que fazem campanhas excelentes, levam tráfego qualificado ao site e em alguns dias precisam parar tudo devido ao estoque baixo dos produtos ofertados.

 

Logística: separação e despacho de pedidos de ecommerce

Com o advento das vendas em canais digitais a logística foi uma disciplina que se reinventou magnificamente. Os grandes players como Amazon, Submarino e Magalu possuem diversas iniciativas em logística para ecommerce que podem servir de inspiração para pequenas e médias empresas. O tempo de entrega e o cumprimento desses prazos se tornou fator preponderante na experiência de compra em canais digitais. Por isso as empresas que implementam um site de ecommerce precisam definir processos muito bem estruturados para não falhar na separação e despacho dos pedidos.

 

Formas de Entrega para sites de ecommerce

A depender do porte da empresa, separação e despacho de pedidos é uma operação diferente da Entrega. Enquanto a primeira pode ocorrer internamente ou em fábricas distantes (no caso de dropshipping), a segunda quase sempre é operacionalizada por terceiros. A atual evolução da Logística também diversificou e facilitou os serviços de entrega, sejam deliverys para entregas próximas ou transportadoras contratadas e Correios para os mais diversos tipos de produtos. Mais uma vez a dica essencial é pesquisar a ampla variedade de fornecedores para identificar o serviço adequado ao porte e aos processos da empresa.

 

Fornecedores (ou produção própria) consistentes

Este tópico parece ser semelhante ao de gestão de estoque, mas efetivamente não se trata do mesmo assunto. Tecnicamente a movimentação da mercadoria no estoque vem depois desse item. A dica aqui é dimensionar a produção dos bens comercializados com a demanda prevista. Para isso é necessário um planejamento bem elaborado calculando estimativas de vendas em cenários otimistas e pessimistas.

 

Carga tributária nas operações de ecommerce

Um elemento que poucos empreendedores se atentam ao começar a vender pela internet é a carga tributária sobre as transações efetuadas pelo site de ecommerce. Já vi empresários que pensam estar isentos de impostos só porque praticam vendas online. Isso não é verdade. Então, além de considerar os tributos incidentes em cada venda por canais digitais, também é necessário emitir nota fiscal que acompanhe o pedido.

 

O Pós Venda nas operações de ecommerce

Vender pela internet utilizando sites de ecommerce não se encerra quando o pedido chega ao cliente. Pelo menos não deveria ser assim. O que muitos empresários consideram o fim da jornada deveria ser o início de um longo relacionamento de consumo. Claro que isso depende do tipo de produto que está sendo comercializado. Mas tanto a recompra quanto as estratégias de cross selling e up selling devem ser planejadas e colocadas em prática após a primeira compra de cada consumidor.

 

Mensurar Dados nas vendas pela internet

Todos os pontos listados até aqui são extremamente importantes em uma operação de ecommerce e venda pela internet. Mas nada disso vai ser muito consistente se a empresa não estiver coletando, armazenando e processando dados de todas as operações realizadas. Analisar dados é imprescindível desde o planejamento de marketing e previsão de vendas até a gestão do estoque. Na verdade todas as decisões relacionados aos itens desse artigo devem ser embasadas por dados. A era do achismo acabou.

 

Futuro do ecommerce: OmniChannel Phygital

Por fim, a empresa que consegue praticar todos os pontos acima no nível da excelência estará pronta para entrar no futuro do varejo. Até porque o futuro já chegou e essas tendências já estão acontecendo. OmniChannel diz respeito a proporcionar a mesma experiência de compra em todos os canais de vendas da empresa. Já Phygital é sobre utilizar os canais físicos e digitais em sinergia, também como foco em oferecer melhores experiências ao comprador.

 

Vender pela Internet definitivamente é uma oportunidade que todos os empresários devem se valer. A Transformação Digital das empresas é o caminho que vai levar ao maior aproveitamento de todas as facilidades do mundo digital. Se a sua empresa já está aplicando as boas práticas descritas nesse artigo, já possui grandes chances de êxito.