Dá pra reinstalar 2020? Veio com vírus!

Quem já teve algum problema com malwares sabe o tamanho da dor de cabeça. Eu já cheguei a perder um computador por conta de trojan e já tive de lidar com vírus que se espalhava pelo FTP, ameaçando invadir o site de vários clientes. Felizmente no mundo da informática existem antivírus, firewalls e backups que nos auxiliam tanto no modo preventivo quanto corretivo. Por outro lado, os vírus do mundo real não são tão fáceis assim de lidar.

Na última década a humanidade teve de lidar com, ao menos, 2 grandes epidemias em escala global: H1N1 e SARS. Tudo isso já era preocupante, até que presenciamos algo que podia ser pior: a COVID-19. Existem 1.700.000 vírus diversos detectados em animais, desses 1.700 são coronavirus. E menos de 10% deles atingiu o ser humano até agora. Significa que isso tudo pode ser só o começo.

Mas eu não vim aqui tomar seu tempo para falar de pandemias, sequer tenho competências de epidemiologista ou biólogo para isso. Meu assunto é Planejamento e Gestão. Não é porque minha atuação profissional seja atualmente nessa área que eu faço meus planos anuais. Eu sou bastante metódico e me habituei a fazer as “resoluções de ano novo” tanto para o âmbito pessoal quanto profissional.

Para 2020 eu havia estabelecido como meta profissional participar de mais eventos (feiras e congressos), algo que eu havia praticamente parado nos últimos 3 anos. Também havia considerado dar aulas e aumentar as apresentações de palestras, seja em eventos ou in-company. Uma vez que venho pesquisando profundamente sobre Transformação Digital, decidi ampliar esse estudo visitando os diversos hubs de inovação em São Paulo. Ainda sobre Transformação Digital, planejei criar cursos e workshops presenciais para compartilhar esse conhecimento, bem como lançar um portal de conteúdo. Na esfera pessoal / familiar, me propus a visitar ao menos duas exposições por mês e praticar atividades físicas regulares. Também já tinha uma viagem internacional marcada para o meio do ano.

Não preciso dizer que TUDO o que planejei para este ano foi para o ralo. Tudo! Da mesma forma, isso deve ter acontecido contigo e com praticamente todo mundo que habita este planeta. Mas, independentemente se você tinha ou não tinha um planejamento, provavelmente sua vida ficou de pernas pro ar.

 

A pandemia de COVID-19 escancarou algumas verdades:

  • A grande maioria das pessoas e empresas não tem fôlego financeiro pra mais do que três meses.
  • A grande maioria das pessoas e empresas não tem sequer um planejamento, e mesmo que o tenha, ele não contempla prevenção de crises, poka yoke ou algo que o valha.
  • A grande maioria das pessoas e empresas não está preparada para a Transformação Digital.

Isso só para falar do foco de Planejamento e Gestão.

2019 certamente foi o último ano com características do século XX. Daqui em diante o mundo será muito diferente. Um conceito que norteia essa característica da Transformação Digital é o VUCA, sigla que descreve um ambiente de Volatilidade (Volatility), Incerteza (Uncertainty), Complexidade (Complexity) e Ambiguidade (Ambiguity). Podemos afirmar que VUCA é o Zeitgeist deste início de século XXI.

Se você está aguardando o fim da pandemia e a volta ao normal, isso que estou dizendo deve soar um tanto assustador. Como afirmou Chris Anderson: “Não estamos em uma época de mudanças, mas em uma mudança de época”. Essa colocação traz à tona o conceito de Tesarac, neologismo que representa aqueles momentos da história em que, tudo o que havia antes não faz mais sentido e tudo o que está por vir é um grande mistério.

 

Como planejar num ambiente de incertezas?

Enquanto escrevo esse texto, dezenas de profissionais estão publicando artigos e lives sobre como gerir seu negócio após a pandemia. Muitos deles até que estão dizendo coisas boas, mas enquanto estamos no olho do furacão a maioria das dicas e sugestões são genéricas e datadas. Não se pode resolver novos problemas com soluções antigas.

Por isso eu não vim até você para trazer respostas. Até porque a maioria delas ainda é imprecisa. Penso que o momento agora é de fazer novas perguntas. Mais do que isso, é olhar e analisar atentamente para essa nova realidade, volátil, incerta, complexa, ambígua e que se move em velocidade exponencial, para aprender a lidar com ela.

Fechando a ponta deixada pelo título: como reinstalar e reconfigurar 2020? Meu propósito, a partir desse texto, é levantar discussões sobre Planejamento, Gestão e Inovação nesse ambiente de incerteza que vivemos. Os próximos artigos seguirão esse caminho. Sua participação com comentários e considerações será muito bem-vinda.

Dá pra reinstalar 2020? Veio com vírus!