Convergência Digital

Este é um assunto tão complexo quanto polêmico, portanto já adianto que não vou aprofundar demais a ponto de tangenciar pontos críticos, mas preciso defini-lo pelo fato de ser um conceito fundamental inerente às mídias digitais. O termo Convergência Digital começou a aparecer nas discussões, artigos e outras fontes de informação há cerca de dez anos, é pouco tempo, mas ainda assim esse termo já sofreu transformações em sua definição e na forma como é utilizado.

Basicamente podemos definir Convergência Digital como a concentração de funções em um único dispositivo pessoal e intransferível. Ao longo da história da comunicação vimos uma série de aparelhos desempenhar cada qual sua função específica (relógio, rádio, televisão, aparelho de som, computador, calculadora, telefone – só para citar alguns). Por conta do intenso e rápido desenvolvimento da internet, três segmentos próximos – comunicação, entretenimento e computação – se mixaram cada vez mais até chegar a dispositivos que reúnem diversas funções, os smartphones e tablets.

Hoje parece muito claro que o ponto central da convergência são estes dois dispositivos, mas a verdade é que ainda estamos vivenciando um período de mutações, experimentando diversas formas inovadoras de interação entre as pessoas e seus gadgets multifuncionais. A pressa e o interesse comercial destas indústrias em acelerar o desenvolvimento da tecnologia e aumentar as vendas, além da demanda crescente do mercado por inovações tem gerado aparelhos com vida curta, que não satisfazem a experiência de uso e muito menos os critérios de acessibilidade.

Por tudo isso ainda estamos no olho o furacão e muitas coisas estão passando por modificações. Os dispositivos “vestíveis” estão começando a se proliferar. As SmartTVs ainda nem começaram a demonstrar todo o seu potencial, assim como os desenvolvedores de aplicativos ainda nem deram atenção a essa nova plataforma. Isso sem falar da ubiquidade, a “Internet das Coisas” a qual se tem dado pouca atenção nos grandes veículos de imprensa, mas que já faz parte do cotidiano de muitas pessoas sem que seja percebida.

Para efeitos práticos importa dizer que a convergência precisa ser compreendida para que a presença nas mídias digitais e sociais seja bem planejada, implantada e gerenciada. Uma vez que a convergência pode se dar tanto sobre dispositivos quanto sobre plataformas é fundamental compreender toda esta miríade de aplicações a fim de desenvolver uma Presença Digital eficiente, relevante e próxima do público como qual se deseja comunicar.

Convergência Digital
Tagged on: