Business Intelligence

Há cerca de 30 anos atrás as informações empresariais, além de formarem pouco volume, ficavam arquivadas em formatos físicos, como papel, cadernos, livros contábeis, etc. Com o advento da informática e da internet não só os antigos dados foram digitalizados como muito mais informação corporativa passou a existir. Some a isso o fenômeno de que, através dos canais digitais, todo e qualquer cidadão pode produzir e compartilhar conteúdo diariamente. Essa é a recita para a produção incalculável de informações que temos atualmente. Estima-se que o volume diário de criação de conteúdo no mundo seja superior às informações existentes desde o início da escrita (cerca de 5.000 anos) até o século XX. Esse grande volume d dados é o que se convencionou chamar de BigData.

E o que fazer diante de tantos dados?

Business Intelligence (BI) é o processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. É um conjunto de teorias, metodologias, processos, tecnologias e estruturas para auxiliar na transformação de dados brutos em informações significativas e uteis. As tecnologias BI são capazes de suportar uma grande quantidade de dados desestruturados para ajudar a identificar, desenvolver e até mesmo criar oportunidade de estratégia de negócios.

A partir deste conceito o BI se tornou muito importante para as áreas de Gestão empresarial, pois proporciona uma série de benefícios, tais como otimização de processos, reconhecimento de falhas, Identificação de oportunidades, prevenção e gestão de riscos, reconhecimento do mercado, suporte à tomada de decisão e monitoramento de resultados da empresa.

Já para o lado do Marketing surgiu a disciplina denominada WebAnalytics. Trata-se da administração e análise de dimensões, métricas e estatísticas referentes a audiências nos canais digitais e performance de campanhas. Enquanto nas tradicionais mídias off-line (TV, revista, jornal) a audiência é medida a partir de estimativas e possui uma margem de erro larga, nos ambientes on-line existem estatísticas relacionadas a diversos parâmetros de visitação e interação em cada um dos canais digitais.

Com o cruzamento dos dados estatísticos de audiências utilizados no plano de marketing digital, é possível se obter informações que demonstram os comportamentos dos visitantes e permitem entender os seus interesses em relação aos produtos e serviços da empresa. Mais do que isso, a utilização de números exatos que mensuram a audiência das ações possibilita o cálculo preciso de Retorno sobre o Investimento. A partir disso surgiu o conceito de Data Driven Marketing, ou seja, o Marketing orientado por dados.

Embora existam ferramentas de BI acessíveis a empresas de todos os portes e setores, a implementação de Business Intelligence vai muito além de plataformas e softwares. Torna-se imprescindível criar uma cultura organizacional focada em dados de modo que todos os colaboradores de todos os departamentos utilizem dashboards e outras formas de consulta a dados em suas atividades diárias. Certamente é um processo complexo, porém imprescindível para a sobrevivência da empresa.